· ·
  • 112
  • 0
  • 0
  • 0
Web ii expoconferencia iberica badajoz 38542 448c

Antecipar o futuro com as “smartrUrban”, uma realidade ao nosso alcance

os dias 24 e 25 de Setembro no edifício da Caja3 em Badajoz foi apresentado um novo projeto de rede de cooperação e de desenvolvimento empresarial.
A iniciativa foi da Escola de Negócios de Badajoz, e contou com a parceria do “ Grupo de Comunicação Regional Diário do Sul ” sediado em Évora.
Encontrar soluções inteligentes com o objetivo de melhorar a economia local e desenvolver modelos de negócio num novo setor, o setor Smart City são alguns dos objetivos desta conferência Ibérica que contou com a participação de representantes do Governo da Extremadura, da Federação Extremena de Municípios e Provincias, da EDP Alentejo e Algarve, bem como representantes dos Municípios de Badajoz, Mérida, Cáceres, Málaga e Valladolid.
Este novo conceito de cidade do futuro pretende tornar inteligente as decisões das cidades e poder dispor da informação e indicadores fruto da sua atividade com o fim de enfrentar os novos problemas , apostando no desenvolvimento local sem distinção entre o mundo urbano e o mundo rural.
Um novo conceito que genera novas oportunidades de negócio para as pequenas e médias cidades e empresas como forma de melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.
Para António Sallas , Diretor da Escola de Negócios de Badajoz “ esta conferência pretende alertar toda a zona Ibérica para “o muito que há a fazer e a inovar, sendo uma oportunidade que não se deve perder, pois significa no futuro uma fonte de emprego, de negócio e de bem estar dos cidadãos“.
O espaço Urban pretende no fundo aplicar o conceito das Smartrcity nas pequenas e médias cidades que interagem com o seu mundo rural, como as cidades de extremadura e do Alentejo e por isso necessitam agregar todo o meio que as rodeia á sua área de influência, criando soluções inteligentes e modelos de negócio para gerar novos postos de trabalho e oferecer melhor qualidade de vida aos cidadãos.
Esta conferência contou também com a presença de Paulo Piçarra, Administrador da Fundação Alentejo que fez uma breve apresentação da Instituição e da sua história desde 1999, bem como das suas valências em prol da qualificação escolar e profissional de crianças jovens e adultos do Alentejo.
Como parceiro desta expo-conferência “O Grupo Diário do Sul “ fez-se representar pelo seu Administrador José Piçarra, que na sua intervenção resumiu um pouco da história de mais de quarenta anos de atividade ligada á comunicação e informação e das novas plataformas utilizadas neste grupo de comunicação social regional do Alentejo.
Esta segunda edição da “Expo conferência Ibérica” foi durante dois dias uma forma de partilhar conhecimentos e experiências e desenvolver assim as competências e valencias destes dois paises ibéricos que tanto têm em comum.

Eficiência energética urbana é clonada nas zonas rurais

Projecto pioneiro da EDP em Évora
volta a ser exemplo em Badajoz

projecto INOVGRID, lançado pela EDP – Distribuição, no final de 2007, esteve uma vez mais em destaque na segunda edição da Expoconferência de Cidades Inteligentes, promovida pela Escola de Negócios de Badajoz, na cidade espanhola. O plano de modernização da rede de baixa tensão, com vista a uma maior eficiência energética, escolheu Évora para a sua implementação, em 2010, fazendo desta urbe uma InovCity.
José António Marmé, director de rede e clientes do sul da EDP Distribuição esteve presente na iniciativa ibérica evidenciando o que tem ocorrido nos últimos três anos na cidade de Évora. O dirigente explicou que esta “é uma aposta ganha” e que o exemplo disso é que está a ser clonado em outras zonas do Alentejo, em particular na zona de Serpa.
O mesmo responsável afirmou que o projecto InovCity é semelhante ao conceito que esteve subjacente a esta conferência – espaços rUrbanos inteligentes – uma vez que “esta intervenção foi feita em toda a cidade de Évora, mas também em todas as freguesias consideradas rurais”. E prosseguiu: “Aqui o que se tem estado a falar é em haver uma definição de estratégias distintas para os grandes núcleos urbanos e os pequenos e rurais, de forma a criar oportunidades inteligentes e igualitárias para todos e é isso que a EDP Distribuição tem estado a fazer”.
José António Marmé salientou a importância do projecto, evidenciando “as mudanças de hábito e de comportamento de consumo das pessoas”, o que, a seu ver, significa que “os consumidores estão mais bem informados e com mais capacidade para utilizar de uma forma mais inteligente a energia, uma vez que têm acesso, em tempo real, aos seus consumos”.
O dirigente sublinhou o “sucesso” do projecto, tendo referido que “Évora é um projecto de referência” e, como tal, vai ser replicado. E exemplificou: “Estamos a fazer com êxito a aproximação da parte rural à parte urbana com um projecto que estamos a desenvolver em conjunto com o município de Serpa e que é a electrificação da Serra de Serpa”.
O director de rede e clientes do sul da EDP Distribuição frisou que o que a empresa está a fazer “é levar as comodidades urbanas a uma zona que é considerada totalmente rural”.
Para o mesmo responsável, a realização destas iniciativas e o interesse pelas cidades inteligentes que transpõem fronteiras são muito importante para a partilha do conhecimento e de experiências, “no sentido de criar um espaço que no fundo tem condições geográficas e humanas muito parecidas, tentando-se por isso desenvolver as competências e as valências do território ibérico, tornando-o ainda mais ‘inteligente’”.