· ·

“Estamos preparados para trabalhar unidos e fazer o melhor pelo Alentejo e Extremadura. Agora somos um povo mais fortalecido do que nunca.” A frase foi proferida ao “Diário do Sul” pelo presidente do Governo da Extremadura, José Antonio Monago, em jeito de balanço sobre as comemorações do 10 de Junho, que decorreram em Elvas, tendo contado, pela primeira vez, com a presença de altos representantes do país vizinho. Entre eles, esteve o próprio autarca de Badajoz, Francisco Javier Fragoso, mas não faltaram ainda celebrações também do lado de lá de raia.
Os representantes extremenhos foram unânimes em concordar que o Dia de Portugal traduz uma data histórica nas relações transfronteiriças, havendo um “antes” e um “depois” do 10 de Junho de 2013. Isto é, há hoje um definitivo “estreitar” de laços, sobretudo entre o Alentejo e a Extremadura,
tendo José Antonio Monago sublinhado que “este caminho é irreversível. Hoje estivemos em Elvas com muita alegria, porque temos tanto em comum e são tantos os laços que nos unem. É tempo de todos perceberem isso”, referiu.
Monago encabeçou a delegação extremenha que se deslocou a Elvas, tendo assistido, a partir da tribuna presidencial, à sessão solene do 10 de Junho e à cerimónia militar, ao lado de Aníbal Cavaco Silva e de Pedro Passos Coelho. Na comitiva espanhola esteve também o delegado do Governo da
Extremadura, Germán López Iglesia, e o director geral de Investimento e Acção Exterior, Enrique Barrasa, entre outros representantes.